As histórias contadas pelas paredes de um pequeno hotel

06
Jan 10

 

 

Teu corpo é mel, doce veneno

em ti me perco, minusculo, pequeno,

Deusa dos meus sonhos e desejos.

 

És a cor do meu olhar,

a ternura do meu beijar,

Razão suprema do meu sentir.

 

Na noite - minha amante

em ti eulouqueço e adormeço

esqueço o fim e o começo,

quero ser só eterno - teu.

 

publicado por omeuhotel às 14:09

31
Dez 09

 

 

Feliz ano novo.

Até que a vista nos doa.... 

publicado por omeuhotel às 17:55

26
Dez 09

 

 

Naquela tarde, a empregada da limpeza desceu as escadas ofegante.

- Senhor Silvio, senhor Silvio.

 

A tremer, lá contou a história.

Ia fazer a limpeza dos quartos do segundo piso. A porta do quarto 209 estava só encostada. E quando a empurrou... 

 

Fui com ela.

Era verdade. E como eles gozavam, alheios a tudo; ela agarrada ao travesseiro, gemendo e gritando, ele penetrando-a por trás com toda a força, os corpos suados do esforço.

E ele gritava, ela gemia, e só aquele vai-vém, entra e sai, o prazer a subir, a subir., a subir.

 

A empregada de limpeza olhou para mim, pedindo ajuda.

Agarrei-a com raiva de todo o tempo perdido, empurrei-a contra a parede, levantei-lhe a saia verde da farda do hotel e passei-lhe as mãos pelas pernas húmidas.

Ela fechou os olhos, passou a lingua pelos lábios.

Desapertei o cinto das calças e ali mesmo, no perigo de um corredor deserto, à vista de quem quer que surgisse, possui-a como fogo, desvairado de desejo.


 

 

Não, claro que a imagem não é para "brincar" com a ideia de Natal.

Mas lá que foi uma das prendas que pedi no sapatinho, foi...

 

Desta vez, nada.

 

Talvez para o ano...

publicado por omeuhotel às 00:02

24
Dez 09

 

 

 

Corpo de mulher, fogo ardente

Teu pescoço, teu peito quente.

 

Teu cabelo esvoaçante,

Faz de mim teu amante.

 

Deixa-me morder,

teus peitos delicados

meus olhos fechados,

teu leite beber.

 

Quero fogo, quero vento,

quero sentir-me aí dentro

ser teu corpo a minha morada,

tua imagem a minha amada.

 

Quero tudo e não quero nada.

Paixão desmedida, errada.

 

Eu sou fogo, tu és mar.

eu quero amor, tu só amar.

 

publicado por omeuhotel às 13:01

23
Dez 09

 

 

Algo existe nesse teu jardim

que me sabe a pétalas, regadas de mel.

 

Devoro-te,

Sugo-te a vida que escorre de dentro de ti.

És imensa, céu estrelado, vulcão ardente.

Minha boca é tua semente,

Tua pele a neve mais branca que já vi,

Suplico-te.

 

Algo existe nesse teu jardim

que me enlouquece.

Poderá ser fogo, ser sangue,

um beijo que arrefece,

mas a paixão... essa não tem fim.

 

 

 

 

 

 

publicado por omeuhotel às 17:26

 

É uma gota que escorre.

É suor, é ardor, é o tempo que foge.

 

A tua boca chama

A tua boca clama

A tua boca derrama

Chama pela minha lingua,

Clama pelo meu queixo,

Derrama espuma no leito

 

A noite é de saudade.

O beijo dói, arde, sabe a pouco

O corpo treme e anseia.

Muito pouco é a metade,

um beijo, um grito rouco,

a garganta quase cheia

quero gritar - e na noite peço um beijo

na penumbra em que te vejo

despido de vaidade,

amarrado de saudade.

 

É uma gota que escorre.

É suor, é ardor, é o tempo que foge.

 

publicado por omeuhotel às 01:41

16
Dez 09

 

Naquela tarde, a turista - talvez sueca - entrou, queria a chave.

Eu queria abrir-lhe a porta.

Queria encher-lhe a boca - sugar-lhe o ar.

 

Ela percebeu, riu, gracejou.

Contornou o bar, escondeu-se, quis uma bebida.

A roupa caiu, a lingua quente escorreu, deu-lhe voltas.

Chupou, lambeu, mordeu, beijou

agarrou, suspirou, esfregou, apagou.

 

Por trás do balcão, senti o mundo fugir.

Mergulhei naquela garganta e invadi

deixei meu prazer na boca dela,

o coração explodiu

o corpo vacilou

e ela sorriu.

 

Quero mais - disse então

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por omeuhotel às 17:25

02
Dez 09

 

A morena do bar

é chocolate

Apetece provar, comer, repetir

enlouquecer

 

A morena do bar é fogo

queima

incendeia sexo,

respira sexo

tem boca de sexo

Apetece agarrar, virar, possuir.

 

Mas quem me possui é ela

Estende-me a lingua e segura-me a mão.

E eu expludo enquanto ela me acaricia. 

publicado por omeuhotel às 17:04
tags:

15
Nov 09

 

 

Desceram os dois as escadas.

Na recepção, recebi-lhe a chave do quarto.

Vinham saciados, sorridentes.

A fome satisfeita,

 

Ela lambeu os lábios e ofereceu-lhe a mão.

Ele guardou-a no bolso.

 

Ela mexeu e remexeu, como quem acaricia um deus.

Queria mais.

 

publicado por omeuhotel às 16:55

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2010

2009

Clientes que já aqui dormiram
click for free hit counter
Get a free hit counter here.
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO